sexta-feira, 21 de agosto de 2009

O post do ex...


Eu falei que não ia mais comentar sobre minha vida pessoal aqui no blog, mas eu não consigo separar minha vida em partes, para mim uma coisa está sempre ligada com a outra.

Como eu disse no post anterior sábado eu encontrei um ex-namorado (que há muito tempo é ex) e ficamos conversando. Ele disse que quando me encontrou no dia dos Mamonas achou que eu nunca mais ia falar com ele.
Até certo ponto ele tinha razão de ter ficado com receio, ainda mais se levarmos em conta a maneira como ele agiu comigo...mas...como sou uma pessoa que não guarda mágoas no coração e como eu acredito que as coisas ruins que nos acontecem só servem para nos ensinar, eu conversei com ele normalmente...para falar a verdade já faz tanto tempo, e já aconteceu tanta coisa em minha vida que eu nem me lembrava mais...espera que eu já conto tudo:

Nos conhecemos quando eu tinha 18 anos e ele 22. Logo de cara gostamos um do outro...começamos a “ficar” e em pouco tempo começamos a namorar. Ele era meu primeiro namorado, eu era a segunda namorada dele. Minha irmã e minhas amigas já conheciam ele e os amigos dele, então era muito divertido pois saíamos em turma, íamos para todos os lugares. Ele sempre era carinhoso, educado, simpático, divertido. E morria de ciúmes de tudo. Até que um dia nós estávamos meio que brigados um com o outro por causa de ciúmes dele, ele sumiu e eu fui com minha irmã e o namorado dela numa lanchonete que a gente sempre ia pois tinha música ao vivo.

Era uma sexta-feira eu estava mal por ter brigado com ele e tals mas minha irmã insistiu para que eu fosse porque ela era muito fã dos cantores que estavam fazendo o show e minha mãe só deixaria ela ir se eu fosse junto. E fui eu de vela. Chegando na lanchonete eu vi os amigos dele (ex) lá e perguntei para eles onde ele estava, eles falaram que não sabiam. Se entreolharam e eu percebi que tinha alguma coisa errada. Eu fiquei esperando ele voltar. 
Quando eu menos espero vem ele de mãos dadas com outra garota. Choquei. Choquei mas não fiz nada...Esperei minha irmã para irmos embora...no outro dia ele me procurou para conversarmos e blá, blá blá...para resumir a história...depois disso ficamos um mês separados, ele insistiu tanto e eu gostava tanto dele que acabei voltando...mas não adiantou nada, depois de dois anos eu descubro que ele tinha um filho com outra menina. Aí foi o fim de tudo mesmo.

Ainda conversamos umas duas vezes (por insistência dele) e depois eu cortei relações por completo...parei de comprimentar, parei de ir aos mesmos lugares...passei uns nove meses arrasada até que resolvi dar a volta por cima: comecei fazer um curso técnico de administração (porque eu tinha desistido do magistério), conheci gente nova...segui com a minha vida.

Nossa conversa girou em torno do que aconteceu durante esses onze anos que não nos vimos, os amigos da época, os lugares onde íamos, o que tínhamos feito durante este tempo...etc....foi uma conversa de boa, sem mágoas, muito pelo contrário uma conversa como quando a gente reencontra um amigo que não vê há muito tempo. O reencontro de duas pessoas que não existem mais, eu não sou mais aquela, tampouco ele. Apesar de ele dizer que eu continuo igual ao que eu era antes e eu achar que ele também não mudou nada na aparência...continua simpático, engraçado...e aprendeu a dançar...hahha.

Ele me contou que ficou três anos com a mãe do filho dele, que o filho já tem 10 anos, que morou dois anos fora do país e que voltou em novembro do ano passado.

E enquanto a gente conversava eu não pude deixar de imaginar como teria sido a minha vida se eu tivesse ficado com ele até agora, se tivéssemos namorado esses onze anos...nada de baladas, viagem com os amigos, independência, faculdade...talvez num universo paralelo eu seja uma professora, casada, mãe de dois filhos, submissa. É engraçado imaginar o que a gente não viveu...mas para ser bem sincera e como eu sempre digo...eu estou muito feliz com as escolhas que eu fiz.

E quando na hora de ir embora ele se inclina e me dá um beijo eu sinto como se estivesse beijando um amigo...descubro não sei se para minha alegria ou meu pesar que meu coração hoje bate mais forte por outra pessoa.

2 comentários:

disse...

Caraca,que coisa não? Mas a vida passa, acontecem coisas. Essa parada do que poderia ter acontecido se ... o se é foda.
Mas que bom que vc está feliz. =)

Lilith disse...

Com toda certeza, Fê...por isso que eu não encano não...o importante é seguirmos nosso coração que no final das contas a gente sempre fica mais satisfeitos...bjus.